5 de mai de 2011

Hoje não

Eu te amei. Amei com tudo que eu tinha pra dá a alguém, com todos meus sentidos. Já te quis muito mais do que possa ter passado por sua cabeça algum dia, com todo meu desejo. Já fui tão apaixonada por você a ponto de ir pra cama e não conseguir dormir de tanta felicidade, sem a menor vontade de fechar os olhos e deixar o dia acabar. É claro que era assim, tão bom, porque você me fazia acreditar que era recíproco, que cada pedacinho da gente ‘se queria’ simultaneamente.  Cada vez, que assim, sem porque nem pra quê você deixou claro que não era bem assim, meu amor foi se derretendo, esvaindo-se. Não que não fosse verdadeiro, não precisava que você me amasse de volta pra poder assim sentir, a questão é que te amei tanto que me obriguei a parar e te deixar assim sem me amar pra ser feliz como quisesse sem que isso me fizesse infeliz. Parei. Não foi da noite pra o dia, não aconteceu sem dor, sem dano. Uma partezinha de mim se perdeu no meio disso tudo. Grande parte que ficou tá machucada, e ainda dói muito em dias como esse. Por isso não me julgue, não vem pra cá com essa de que agora é diferente, que vai dá tudo certo. Não vem por que eu já escolhi que mesmo que você me queira pra sempre e de verdade agora é tarde, que aquela parte pequena que se perdeu de mim era importante, e a parte grande ainda não pode ser posta em perigo, não por sua causa, meu coração é teimoso de vez em quando, não quer ser burro o tempo inteiro. Então me deixa, porque pelo menos hoje eu to livre de qualquer dor de amor, livre até de qualquer felicidade que ele pode trazer. Me deixa que pela primeira vez eu quero ser deixada, que hoje meu coração tá respirando aliviado, sem querer ninguém. Então me deixa, mesmo me querendo, por hoje chega.



Nenhum comentário:

Postar um comentário