17 de nov de 2010


A gente não se dá conta, mas a vida é tão rápida... sabe aquele hífen escrito nos túmulos: 1956 - 2010? Então... é o intervalo de nossa vida. É curto, é pequeno, mas o que importa é o que você faz com ele.

Tenho percebido as pessoas tão superficiais ultimamente... há alguns dias  tô tentando ter uma conversa de verdade com alguém, sobre coisas de verdade, não encontro ninguém. Acho que todo mundo tem gastado sua cota de ‘conversa séria’ pra trabalho, faculdade e essas coisas de adulto, e quando encontram um amigo só querem falar bobagens sabe? Não que seja pecado passar uma tarde falando e fazendo besteira pra distrair a mente, esse é um ótimo remédio pra o peso de cada dia na verdade, mas e as conversas sobre planos? Sobre os sonhos, sobre a casa, a mulher, o filho, o carro, o emprego que pretende ou não ter um dia? E a conversa sobre a vontade de conhecer o mundo inteiro sem ninguém por perto? Sobre os medos, a dor no coração, os livros e as músicas preferidas? Fica aonde?

E nessa história tudo está se tornando superficial. As amizades, os amores, os sentimentos... tudo assim, sem profundidade, sem verdade e sem cor.  Você sabe o perfume preferido de seu melhor amigo? Sabe qual é o shampoo que sua namorada usa? Sabe como seu namorado começou a torcer pra o time que torce? Qual a cor que sua mãe mais gosta? E você, o que quer pra sua vida? A gente desconhece tanta coisa, de tanta gente importante, e gasta tanto tempo com bobagens que não sobra nem pra conhecer a gente mesmo. O que sobra no final do dia é um vazio, o vazio que a gente sente por ter por perto simplesmente pessoas desconhecidas , que você ama, é verdade, mas que quando tem um problema você não sabe o que fazer pra ajudar, porque não sabe quem seu amigo é, nem do que ele precisa, e nem ele sabe na verdade, porque também não se conhece. E ai, bom ou ruim, o dia sempre acaba igual.

Já passou da hora de acordar, de perceber que relacionamentos sem raízes firmes, sem conhecer, sem saber-se um do outro, voa com qualquer brisa, vai embora com qualquer tropeço  e não vale a pena. É preciso se conhecer de verdade pra amar de verdade, porque conhecer mesmo demanda tempo, e tudo aquilo que você investe seu tempo passa a ter mais valor.

Então é isso, gaste o seu hífen da melhor maneira possível, preste atenção nas coisas simples, que pra muita gente parece pequena, mas são gigantes pra o coração que sente de verdade, intensamente. Não desperdice seu tempo, invista ele no que você vai levar pra vida toda, não importa o quanto ela seja curta ou longa! Aproveite seu hífen, seu intervalo, sua vida, com verdade. Não seja raso.

Damari Silveira



2 comentários:

  1. o que é isso damari silveira??? perfeito??
    super me identifiquei!

    ResponderExcluir